quarta-feira, 19 de abril de 2017

Então volte!

Conheço muitas pessoas que por “um tempo caminharam” com o Senhor Deus; cresceram e tiveram grandes experiências em suas vidas, mas aconteceu algo, que de repente, os fez abandonar a caminhada e se esquecerem de todas as maravilhas que presenciaram e também as bênçãos recebidas do Pai.

A bíblia nos conta a experiência do “filho prodigo”, Esse tinha tudo que queria na casa de seu pai o qual amava e lhe proporcionava todo necessário para ser feliz, no entanto ele queria maiores experiências e resolveu “viver por sua conta e risco”, revindicou sua “liberdade”.       
E Jesus disse ainda: —Um homem tinha dois filhos. o mais moço disse: “Pai, quero a minha parte da herança. ” —E o pai repartiu os bens entre os dois. O filho mais moço ajuntou tudo o que era seu e partiu para muito longe. Ali viveu uma vida cheia de pecado e desperdiçou tudo o que tinha.  Depois de gastar tudo o rapaz começou a passar necessidade; mas ninguém lhe dava nada. Teve vontade de comer o que os porcos comiam.  Caindo em si, ele voltou para a casa do pai. —Quando o rapaz ainda estava longe o pai o avistou. E, com muita pena do filho, correu, e o abraçou, e beijou. Lucas 15.11-20.
Na vida aprendemos desde cedo a tomar posições, nos identificamos, escolhemos, em fim, a existência nos impõe caminhos simples ou complexos os quais nos obrigam a decidirmos pelo certo ou errado.
O filho mais moço, pensou que recebendo sua herança e se afastando de seus familiares, fazendo o que bem quisesse, encontraria a felicidade, mas errou.
Os sorrisos da partida se transformaram em lagrimas no desejo de voltar.
 Muitas vezes nos afastamos dos “braços” de nosso Pai Celestial, e vamos à busca de coisas que não nos pertencem; alegrias passageiras, sonhos que não são nossos.
Talvez você tenha saído em busca de novas emoções, ou esteja assim como o filho pródigo sem saber para onde ir, ou o que fazer.
Volte para a casa do Pai.
Ele lhe receberá de braços abertos e perdoará seus pecados.
Então Volte!

Deus te abençoe

Pr. Luis Freitas 

0 comentários:

Postar um comentário