terça-feira, 8 de novembro de 2016

O que é o homem?














Quem sou eu? Será que eu valho alguma coisa?

Conta-se que certo dia Arthur Schopenhauer, o filósofo do pessimismo, estava sentado no 
Tiergarten, em Frankfurt, meio desanimado, maltrapilho, quando o guarda do parque, 
confundindo-o com um vagabundo, perguntou-lhe rudemente: "Quem é você?" 
O filósofo respondeu amargamente: "Por Deus, como eu gostaria de saber!”.

Quando olho para o céu, que tu criaste, para a lua e para as estrelas, que puseste nos seus lugares
 (penso) que é um simples ser humano para que penses nele? Que é um ser mortal para que 
te preocupes com ele? No entanto, fizeste o ser humano inferior somente a ti mesmo e 
lhe deste a glória e a honra de um rei. Salmos 8.3-5

Tempos atrás em uma entrevista pediram para me descrever.
"Quem sou eu?" Nunca pensei que seria tão difícil responder a uma pergunta tão simples como esta.
Creio que seja muito importante nos conhecer bem, saber com detalhes nossas particularidades. 
]Como fui formado? Por quê? Para que? Afinal, enquanto não nos encontrarmos a nós mesmos, 
não podemos descobrir plenamente qualquer outra coisa, nem podemos crescer em 
maturidade pessoal, afinal como posso obedecer ao segundo maior mandamento de Deus.

Ame os outros como você ama a você mesmo.  Mateus 22.39.

Todo aquele que crê em Deus e tem Cristo como Senhor e Salvador de sua vida, experimenta o 
próprio Deus é amor, e nossas experiências de amor é um reflexo essencial da nossa semelhança 
com ele. Pois foi assim que Ele nos formou; a sua imagem e semelhança.

Não deixe ninguém dizer ao contrário.

Deus te abençoe

Pr. Luis Freitas

0 comentários:

Postar um comentário